« Voltar à página anterior
 




A Reposição Florestal Obrigatória (Código Florestal, Lei 4.771 15/03/65 e Lei Estadual 10.780) foi instituída a fim de assegurar o replantio das árvores cortadas para o abastecimento de empresas que utilizam produto florestal lenhoso.

Desta forma, construtoras, usinas, frigoríficos, cerâmicas, padarias, pizzarias, churrascarias, serrarias, olarias e quaisquer outras empresas que utilizam ou consomem matéria prima florestal (lenha, carvão ou tora) devem promover a restituição equivalente às árvores suprimidas durante a atividade.

Os recursos provenientes da Reposição Florestal são destinados à produção das mudas de árvores, que são distribuídas gratuitamente aos pequenos e médios produtores rurais cadastrados. Além disso, para garantir que os plantios tenham êxito, esses agricultores recebem orientação e assistência técnica periódica.

Para realização dessas atividades a FLORA TIETÊ conta com dois viveiros de produção de mudas e técnicos qualificados que fazem a gestão dos projetos florestais implantados.

A Reposição Florestal representa o aumento da oferta dos produtos florestais, gera trabalho e renda no campo. Ao mesmo tempo, promove a redução da pressão sobre as florestas nativas remanescentes.

PAGAMENTO DA REPOSIÇÃO FLORESTAL

Consumidores de matéria prima florestal são obrigados a recolher anualmente a taxa de Reposição Florestal pelo consumo de matéria prima vegetal. O valor é determinado pelo governo. O consumo declarado pelo próprio consumidor aos órgãos públicos por ocasião de seu cadastramento é convertido em número de árvores que serão recolhidas anualmente.




Consumidores de matéria prima florestal são obrigados a recolher anualmente a taxa de Reposição Florestal, pelo consumo de matéria prima vegetal. O valor é determinado pelo governo. O consumo declarado pelo próprio consumidor aos órgãos públicos por ocasião de seu cadastramento é convertido em números de árvores a serem recolhidas anualmente.

Matéria prima
consumida
Unidade Número de árvores a repor por unidade consumida
Lenha 1 metro estéreo 05
Carvão Vegetal de lenha de espécie Nativas 1 metro cúbico de carvão 15
Carvão Vegetal de lenha de espécie Exóticas 1 metro cúbico de carvão 10
Madeira em Tora 1 metro cúbico 06

 




O que é reposição florestal obrigatória?

É um processo de plantio obrigatório de árvores de espécies nativas ou exóticas, para atendimento a dois tipos de exigências legais:

a) Para manter o estoque sempre contínuo de matéria-prima florestal das empresas que consomem tais produtos;
b) Exigido das pessoas físicas e jurídicas como forma de reparação dos danos causados ao meio ambiente ou como forma de compensar o uso dos recursos naturais, no processo de licenciamento ambiental.

Qual a legislação básica que regulamenta o procedimento da Reposição Florestal Obrigatória?

a) No primeiro caso, isto é, para o processo de consumo de matéria-prima florestal, a reposição florestal é uma exigência descrita nos artigos 20 e 21 da Lei Federal nº 4.771, de 15 de setembro de 1965 (Código Florestal), que foi regulamentada pelo Decreto Federal nº 1.282, de 19 de outubro de 1994. No Estado de São Paulo o assunto é tratado na Resolução Conjunta SMA-IBAMA nº 04, de 26 de abril de 1996 e na Lei Estadual nº 10.780, de 9 de março de 2001.

b) No segundo caso, isto é, para o processo de degradação ou utilização dos recursos naturais, a reposição florestal é uma exigência descrita no artigo 19 da Lei Federal nº 4.771/65, no artigo 38 do Decreto Federal nº 3.179, de 31 de setembro de 1999, no artigo 1º da Lei Estadual nº 10.780/2001 e também na Lei Federal nº 6938/81 e Lei Estadual nº 9.509/97).

Como pode ser feita a Reposição Florestal Obrigatória?

a) No caso dos consumidores de produtos florestais, a reposição florestal obrigatória pode ser feita de duas maneiras: através do plantio próprio em terras particulares ou de terceiros ou através do recolhimento bancário dos valores correspondentes ao custo de plantio das árvores, diretamente às Associações de Reposição Florestal credenciadas pelo DEPRN. Neste caso, as Associações ficarão responsáveis pela apresentação ao DEPRN dos projetos de plantio das árvores.

b) No caso dos degradadores ou utilizadores dos recursos naturais, a reposição florestal deverá ser feita através do plantio de árvores no próprio local do dano ou do objeto do licenciamento ou, excepcionalmente, caso não existam condições técnicas ou locacionais para o plantio no local, poderá ser feito nas proximidades, dentro da mesma micro bacia hidrográfica.

Como é feito o cálculo da reposição?

a) no caso dos consumidores:
Para cada m³ consumido de lenha, é obrigatória a reposição de 5 (cinco) árvores
Para cada m³ consumido de madeira em tora, é obrigatória a reposição de 6 (seis) árvores
Para cada m³ produzido de carvão de exóticas, é obrigatória a reposição de 10 (dez) árvores
Para cada m³ produzido de carvão de nativas, é obrigatória a reposição de 15 (quinze) árvores

b) no caso dos pedidos de licenciamento ou degradação ambiental:
Conforme critérios estabelecidos na Resolução SMA nº21/2001 e Resolução SMA nº47/2003.

Qual é o valor da árvore fixado pelo DEPRN para efeito da reposição florestal obrigatória?

No caso de recolhimento dos consumidores às Associações o valor é de R$ 0,75 por árvore. (Portaria DEPRN nº 03, de 2006).  

No caso dos pedidos de licenciamento ou degradação ambiental não há valor fixado para recolhimento porque não é permitida essa modalidade de compensação.

Como é feito o controle sobre os consumidores de produtos florestais?

É feito através da fiscalização nas fontes de consumo (padarias, pizzarias, olarias, etc) realizada periodicamente pela Polícia Ambiental e pelos Agentes do DEPRN. Conforme Resolução da Secretaria do Meio Ambiente nº 21, de 17 de setembro de 1990, todos os consumidores de produtos e sub-produtos de orígem florestal são obrigados ao CADASTRO no DEPRN. Para solicitar o Certificado de Cadastro o consumidor deverá comparecer no Escritório do DEPRN de sua região, munido dos seguintes documentos:

- Requerimento preenchido e assinado
- Comprovante de inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC);
- Cópia da DECA-Declaração Cadastral da Secretaria Estadual da Fazenda
- Comprovante da reposição florestal obrigatória

Como é feito o controle sobre as Associações de Reposição Florestal?

É feito através do CREDENCIAMENTO oficial realizado pelo DEPRN.
Para habilitar-se ao credenciamento a Associação interessada deverá formalizar pedido também ao Escritório Regional de sua região, apresentando a seguinte documentação:
- requerimento de credenciamento;
- relação de associados com respectivos CPF ou CGC;
- estatutos sociais registrados em cartório;
- nomes, endereços e fichas cadastrais dos membros da diretoria da associação;
- comprovante de registro de pessoa jurídica;
- comprovante de inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC);
- programa operacional para execução dos objetivos;
- anotações de responsabilidade técnica (ART) do profissional habilitado responsável pelos projetos de reflorestamento;
- inscrição no IAPAS;
- registro na Prefeitura Municipal;
- número da conta bancária em instituição financeira credenciada pelo IBAMA e DEPRN, que possua agências bancárias distribuidas em todas as Regiões do Estado de São Paulo, para fins de recolhimento do valor da reposição florestal;
Obs - Para serem credenciadas, as Associações deverão ter sua Diretoria composta por 2/3 (dois terços) de consumidores obrigados à reposição florestal, no mínimo.

Quais são os benefícios advindos da atividade da Reposição Florestal?

- Aumento da área reflorestada da região
- Maior oferta de matéria prima aos consumidores
- Diminuição do preço do produto para os consumidores
- Participação no plano de desenvolvimento florestal do Estado
- Maior oferta de empregos no campo
- Menor pressão sobre os remanescentes de vegetação nativa
- Manutenção da biodiversidade